terça-feira, 30 de março de 2010

O dia que tive que dar uma pausa



A manhã estava nublada, mas não deixou de ser linda, de ter vida. Foi apenas uma semana, mas parecia que não deixaria de ver aquelas paredes cor de creme. Voltei ontem para casa, mas não tive coragem de vir ao blog. Muitos pensamentos e a saudade de dormir na minha cama me mantiveram longe.

É interessante como tudo muda em segundos. Eu já deveria estar atenta quanto a isso, pois foi como aconteceu com meu acidente. Sinceramente achei que aquela semana seria comum, ia até a uma feira agropecuária com outros amigos cadeirantes. Ia ser divertido. Mas os planos mudaram.

Segunda- feira passada fiz minha fisio e estava animada quando a Dra. Juliane disse que em um mês evolui o que outros pacientes levam três meses para conquistar em relação à força e equilíbrio. Nossa isso me deixa muito feliz!

Depois disso fomos levar um exame de urina para o meu neurologista examinar. Estava brigando contra essa infecção há um mês quando começou a incontinência e os espasmos estavam extremamente fortes, chegando ao ponto de eu quase cair da cadeira.

O primeiro exame mostrou uma base de 76 mil leucócitos, não sei o que significa só sei que o normal é ate 10 mil. Tomei antibiótico por uma semana. Refiz o exame, o remédio só atiçou as danadas  das bactérias, o número subiu para 100mil! Mais uma vez meu xixi foi para o laboratório.

E foi esse resultado que nos assustou mais. Ah, meu médico também deu uma forcinha para isso. A quantidade de leucócitos havia dobrado!!! Ele disse que se não tratasse logo com antibiótico por via venosa, corria o risco de a infecção subir para os rins e até mesmo contaminar o sangue. Isso seria ruim...

Isso foi um choque. Minha mãe e eu não conseguíamos assimilar. Tínhamos que ir a um pronto-socorro para ser internada, estávamos em frente a um e nem percebemos. Fomos ao trabalho do meu pai pegar a lista de hospitais conveniados. Decidimos por um mais calmo, mas bem longe do centro da cidade.

Passamos em casa, pegamos tudo e esquecemos tudo. Estava calma, mas não conseguia raciocinar. Já no pronto- socorro, várias pessoas com dengue. A enfermeira se negou a me dar preferência de atendimento, ela não sabe que é lei o “direito à preferência de atendimento a idosos, e/ou portadoras de deficiência física, sensorial ou mental, em hospitais e postos de saúde”.

Reclamei e ela se limitou a me disponibilizar uma maca. Eu queria ser atendida no consultório, não em uma enfermaria falando da minha incontinência urinaria e qualquer um podendo ouvir. A tal profissional ainda falou para o plantonista que a paciente estava nervosinha. É claro que isso foi parar na ouvidoria do hospital.

Quase duas horas depois dos trâmites de internação fui para o quarto das paredes cor de creme. Minha mãe dormiu comigo. Na manhã seguinte, o simpático e competente dr. Luis Quadros me deu uma previsão nada animadora, “mocinha, você deve ficar aqui por pelo menos dez dias!”.

O que aconteceu depois disso conto amanhã. Estava com saudades!

Paz e bem!!!

5 comentários:

Blog da Grazi disse...

Quer saber de uma coisa? Destesto essas atendentes incopetentes! Faça valer seus direitos, Paulinha!
Depois fala mais do quarto cor de creme! hum! lembrei de sorvete!
Nossa... já pensou se seus leucócitos virassem grana? vc barraria o Dourado do BBB!
Gata, tava com saudade!
bjs

Jairo disse...

Querida, bom retorno... e disciplina redobrada com o xixi de canunidinho, ok?! Beijocas

Ju Vilela disse...

Que bom que está em casa!!!!

Fique com Deus!

Beijos

Rafaele disse...

Maninha.. Graças a Deus está em casa!! Quanta saudade e falta vc me faz...

Anônimo disse...

MArlúcia diz:

Ah, Graças a Deus!
Que alegria visitar seu blog hoje e ver que havia postado mais um texto...por você. Que alegria saber que você está melhor.
Essas siatuações servem para ficarmos ainda mais atentas à alguns detalhes. Atenção redobrada. Sei que isso ja fazem bem, mas vamos nos atentar aidna mais neh..kkkkkk

OBrigada tia Socorro por cuidar tão bem de minha amiga. Amo muito a todas vocês.

bjs